quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Notícia de surto de febre amarela faz aumentar procura por vacinas em Maringá


As notícias de 32 mortes por febre amarela em Minas Gerais, no pior surto dos últimos dez anos, têm preocupado os moradores de Maringá. A Secretaria Municipal de Saúde registrou um aumento na procura pela vacina contra a doença nos postos. Na Sala de Vacina, em dezembro de 2016, foram aplicadas 511 doses. Já neste ano, somente entre os dias 2 e 16, foram 547. Apesar da preocupação dos moradores, a Secretaria Municipal de Saúde ressalta que não há motivo para a corrida às unidades básicas, pois a vacina contra febre amarela faz parte do calendário oficial, com duas doses necessárias para garantir a proteção. A coordenadora de vacina em Maringá, Edlene Aceti Goes, explicou que o reforço a cada dez anos é desnecessário. “Desde o ano passado, o Ministério da Saúde determinou apenas duas doses da vacina para imunizar o paciente durante toda a sua vida. Além disso, existem alguns grupos em que a vacina é contraindicada.” Cuidados A não indicação da vacina contra febre amarela é para gestantes, pessoas com idade superior a 60 anos (quando receberão a vacina pela 1ª vez), pacientes com doenças autoimunes como Aids e em tratamento de câncer. “É importante destacar que, mesmo nesses casos, existem exceções. O médico responsável pelo paciente pode entender que o risco causado ao paciente é maior se ele não for imunizado. Dessa forma, mediante autorização médica por escrito, a pessoa pode receber a dose da vacina em qualquer unidade de saúde”, esclareceu Edlene Goes.Carlão Maringá

Nenhum comentário: